Configurando um servidor DNS

Vocẽ que é um internauta experiente deve sem dúvida conhecer sobre Domain Name System. Vocẽ sabe que é por causa dele que podemos memorizar nomes de domínio agradáveis e não apenas números. Você provavelmente até sabe que quando digita um endereço em seu navegador, seu computador contata um servidor de DNS para encontrar um endereço IP numérico que corresponda a nome do domínio. Vamos dar uma olhada nesse tutorial, porém, em como exatamente tudo isso funciona, e como configurar um servidor DNS próprio.

Continuar lendo Configurando um servidor DNS

Apache para Iniciantes

Nos idos de 1995, havia muitas pessoas que estavam insatisfeitas com o estado atual dos servidores Web. Os comerciais, como o Microsoft IIS e a família de servidores da Netscape, ainda não haviam nascido, e os demais, desenvolvidos por estudantes universitários, eram de qualidade duvidosa. O que então os programadores mais experientes fizeram? Eles criaram seu próprio servidor Web. Chamaram esse servidor de Apache (de “a patchy server”, por se tratar de um conjunto de patches). Um patch é o que parece ser – alguma coisa para preencher lacunas em um código. Esse pequeno grupo de hackers iniciou um projeto que eventualmente criou o servidor Web mais popular do mundo.

Continuar lendo Apache para Iniciantes

Configurando um servidor doméstico

Configurar um servidor doméstico para rodar um sistema operacional open-source é uma atividade popular e útil. Útil de que forma, você pode perguntar. Você pode usar para hospedar um website, coletar e enviar mensagens de e-mail, armazenar suas credenciais OpenID ou distribuir sua música pela casa. No Webmonkey existem muitos tutoriais para usar com uma máquina que está encostada. Nesse tutorial segue um guia para a parte do hardware.

Continuar lendo Configurando um servidor doméstico

Criando uma aplicação para o iPhone – primeiros passos

Numa visão geral, o processo de criação de uma aplicação para iPhone é similar a criação de uma aplicação MacOSX. Ambas usam as mesmas ferramentas e muitas dessas aplicações usam as mesmas bibliotecas básicas. Apesar das similaridades, existem também diferenças significativas. Um iPhone não é um computador de mesa; tem um propósito diferente e requer uma abordagem muito diferente de design. Essa abordagem precisa tomar vantagem dos recursos do iOS e renunciar características que podem ser irrelevantes ou impraticáveis em um ambiente móvel. O tamanho menor da tela do iPhone e do iPod touch também significa que a interação com o usuário de sua aplicação  deve ser bem organizada e sempre focar na informação que o usuário mais precisa.

Continuar lendo Criando uma aplicação para o iPhone – primeiros passos

Criando uma aplicação para Symbian usando Qt

Para completar esse tutorial, você precisa instalar o Qt SDK. O programa de instalação instala e configura as ferramentas necessárias para o desenvolvimento de aplicações móveis. Esse tutorial descreve como usar o Qt Creator para criar um pequena aplicação Qt, Indicador de bateria, que usa a API de Mobilidade do sistema para pegar a informação sobre a bateria do dispositivo.

Continuar lendo Criando uma aplicação para Symbian usando Qt

Cloud Computing: Google ou Amazon?

Em um dos inúmeros eventos de Cloud Computing em que apresentei uma palestra, surgiu uma pergunta interessante por parte de um CIO de uma pequena empresa. Ele queria saber, na minha opinião, qual seria a melhor opção em Cloud Computing, Amazon ou Google. A resposta é simples: “depende do que se pretende fazer com computação em nuvem, porque Amazon e Google têm propostas de cloud computing muito diferentes”.

Referencia (imasters.com)

Tutorial Qt – Capitulo 13 – OpenGL

Quando lidar com Qt e OpenGl, existe o problema de onde desenhar as linhas. Como o alvo desse tutorial é ser um tutorial de Qt, esse capítulo é baseado no tutorial de OpenGL do NeHe. Para aqueles de vocês que estiverem interessados em OpenGL, dê uma olhada nesse tutorial. Para aqueles que quiserem trabalhar com OpenGL dentro do Qt, continue nesse tutorial.

Continuar lendo Tutorial Qt – Capitulo 13 – OpenGL

Práticas de design de banco de dados, parte 2

Na primeira parte desse artigo, iniciamos a discussão sobre algumas boas práticas que são particularmente úteis. Nenhuma delas são específicas a algum produto e todas deveriam, portanto, ser aplicáveis a qualquer banco de dados que estiver sendo usado. Nessa segunda parte, será explanada uma introdução acessível ao tópico da normatização de banco de dados e as cinco Formas Normais. Será discutido também outros possíveis usos para uma base de dados em um projeto.

Continuar lendo Práticas de design de banco de dados, parte 2

Android alternativo CyanogenMod recebe contribuição da Samsung

Desenvolvedores muitas vezes são aficionados por conhecer o funcionamento interno dos dispositivos para os quais escrevem programas, frequentemente tendo a tendência de interagir com eles de maneiras jamais previstas por quem os projetou, adaptando recursos, enxertando hardwares, e usando métodos e procedimentos que vão bem além das APIs divulgadas pelos fabricantes.

Embora não seja um comportamento compatível com a preservação da compatibilidade, da garantia de qualidade ou mesmo da eficiência do processo de desenvolvimento, o conhecimento das entranhas das plataformas-alvo às vezes acaba sendo a solução para problemas incomuns ou a salvação da lavoura quando tudo que o fabricante recomendou já tiver falhado.

Nas plataformas móveis não é diferente, e no caso do Android, cujo código é em grande parte aberto, os escovadores de bits encontram simultaneamente o terreno fértil e as ferramentas para desenvolver suas implementações alternativas.

Referencia (www.techtudo.com.br)

Tutorial Qt – Capitulo 12 – Listas, árvores e tabelas

Muitas aplicações tendem a exibir dados na forma de listas, tabelas e árvores. Essa necessidade é satisfeita pelo Qt através de uma grande faixa de classes desde simples listas de textos até tabelas complexas. Começaremos do mais simples, que é lidar com QListBox.

Continuar lendo Tutorial Qt – Capitulo 12 – Listas, árvores e tabelas