Exemplo de um script SQL interativo no PostgreSQL

A semana foi corrida, e o final de semana foi totalmente utilizado para descanso e lazer. Mas a vontade de escrever é maior, e cá estou novamente pronto para mais um post. A idéia hoje era falar sobre scripts SQL, então imaginei algo diferente, e pensei em mostrar como fazer um script interativo no PostgreSQL 8.3, associando o seu uso a um cenário hipotético. Vejamos…

Referência (guedesoft.net)

UML (Unified Modeling Language) A linguagem unificada de modelagem

A UML é a linguagem padrão para especificar, visualizar, documentar e construir artefatos de um sistema e  pode ser utilizada com todos os processos ao longo do ciclo de desenvolvimento e através de diferentes tecnologias de implementação.

Continuar lendo UML (Unified Modeling Language) A linguagem unificada de modelagem

MVC – O padrão de arquitetura de software

Neste tutorial vamos conhecer um pouco sobre o padrão MVC. Model-view-controller (MVC) é um padrão de arquitetura de software. Com o aumento da complexidade das aplicações desenvolvidas torna-se fundamental a separação entre os dados (Model) e o layout (View). Desta forma, alterações feitas no layout não afectam a manipulação de dados, e estes poderão ser reorganizados sem alterar o layout.

Como implementar um banco de dados

Esse artigo descreve os passos práticos de como criar um banco de dados. Um banco de dados bem desenhado é “completo”, “usável”, “consistente”, “correto” e “flexível”. Os estágios do ciclo de desenvolvimento de um banco de dados podem ser visualizados como um modelo em cascata linear. Uma parte importante do desenho descrita no artigo é construir modelos de dados que cobrirão os dados em níveis cada vez menores de abstração.

Continuar lendo Como implementar um banco de dados

Conceitos Básicos de modelagem de dados

Se você pretende desenvolver aplicações que usam banco de dados relacionais deverá possuir os conceitos básicos sobre modelagem de dados. Não importa se sua aplicação é muito simples ; a correta modelagem dos seus dados irá com certeza tornar sua aplicação mais robusta e mais fácil de manter. O propósito deste artigo é fornecer os conceitos básicos sobre modelagem de dados. Este assunto daria centenas de livros por isto estarei sendo o mais direto e o objetivo possível de forma a que você possa aplicar de imediato os conceitos aprendidos. Como o título já diz serão conceitos básicos e sobre banco de dados relacionais.

Referencia (http://www.macoratti.net)

Introdução a modelagem de software

A ideia de modelar um software visualmente, e as ferramentas que suportam essa empreitada, tem estado ai por anos. Porém, muitos desenvolvedores e gerentes de projeto podem não entender o porquê isso é importante para o desenvolvimento de software. Algumas vezes o gerente do projeto entende a razão para as ferramentas de modelagem, mas precisam convencer seus superiores, que ultimamente precisam autorizar grandes comprar de softwares. Esse artigo lhe dará uma visão geral para justificar a modelagem de software, bem como razões para usar ferramentas de modelagem. Também descreve os recursos mínimos que qualquer ferramenta de modelagem deve ter.

Continuar lendo Introdução a modelagem de software

Práticas de design de banco de dados, parte 2

Na primeira parte desse artigo, iniciamos a discussão sobre algumas boas práticas que são particularmente úteis. Nenhuma delas são específicas a algum produto e todas deveriam, portanto, ser aplicáveis a qualquer banco de dados que estiver sendo usado. Nessa segunda parte, será explanada uma introdução acessível ao tópico da normatização de banco de dados e as cinco Formas Normais. Será discutido também outros possíveis usos para uma base de dados em um projeto.

Continuar lendo Práticas de design de banco de dados, parte 2

Práticas de design de banco de dados, parte 1

Quais são as melhores práticas quando está desenvolvendo o esquema de uma banco de dados relacional? Qual é a decisão mais racional na hora de decidir em favor de uma no lugar de outra alternativa? Dado a quantidade de recomendações de cada tipo de banco, é muito fácil negligenciar os fundamentos básicos dos bancos de dados relacionais. Neste artigo de duas parte, traduzido do autor Philipp K. Janert, será apresentada uma introdução a normatização de banco de dados e as cinco Formas Normais. Ele também discorre outros possíveis usos para um banco de dados em um projeto, por exemplo como um repositório para uma configuração ou dados de log.

Na primeira parte do artigo, iremos discutir algumas práticas boas e gerais que podem ser úteis. Nenhuma delas é específica a algum produto específico e todas, devem, portante, ser aplicáveis não importa qual implementação de banco de dados é usada. Na conclusão desse artigo, tentará ser fornecida uma introdução adequada ao tópico de normatização de banco de dados e as cinco Formas Normais. Será discutido também possíveis usos para um banco de dados.

Continuar lendo Práticas de design de banco de dados, parte 1