Adaptadores 35mm

Nesse artigo, escrito pelo Diretor de Fotografia inglês Philip Bloom, será explicado primeiramente por quê você precisa de adaptadores 35mm, para em seguida tentar explicar de forma simples o que são, sem o uso de linguagem técnica (embora, segundo o próprio, acabará inevitavelmente sendo usada um pouco dela) Segue abaixo o texto escrito pelo autor, e publicado originalmente no seu blog philipbloom.co.uk e traduzido aqui:

Vamos começar definindo a expressão “Profundidade de campo”, que se refere basicamente a quanto da imagem que você está filmando/fotografando está em foco e quanto está fora de foco. Uma profundidade de campo profunda significa que quase tudo está em foco no quadro, do mais distante ao que está mais perto. Uma profundidade de campo rasa é o oposto, onde uma parte seleta do quadro é escolhido para fica em foco. Isso é usado para chamar sua atenção para algo em particular. Isso também torna a imagem mais tridimensional, menos chapada. É uma ferramenta muito útil em produção de filmes e fotografia. Geralmente isso é alcançável com câmeras através de uma tomada bem aberta, se afastando o máximo possível do objeto que você puder e dando zoom na parte que você quer por em foco.

Com o advento de câmeras cada vez menores vieram os sensores de imagem cada vez menores. Isso causa problemas como o estreitamente da profundidade de campo. Basicamente quanto menor o sensor mais difícil é obter uma profundidade de campo rasa. Câmera maiores normalmente possuem sensores de 2/3 polegadas, câmeras como a F350 e a EX1/EX3 possuem sensores de 1/2 polegadas e câmeras como a HVX200Z1Z7Canon A1 entre outras tem sensores de 1/3 polegadas. A câmera Sony V1 tem um sensor de 1/4 polegada, minusculo!

Assim, qual seria a solução para essa situação? Isso depende de até onde  você pode ir e quanto pode dar zoom, que é onde os adaptadores 35mm entram.

Filmes 35mm e câmeras digitais são capazes de fazer tomadas com uma incrivelmente rasa profundidade de campo, muito mais rasa do que câmeras com sensores 2/3 polegadas pois seus sensores são muito maiores, de forma que mentes brilhantes criaram maneiras de dar a essas câmeras a característica de ter uma Profundidade de campo rasa. Essas mentes fizeram isso criando o adaptador de Profundidade de campo, também conhecido como adaptador 35mm. Ai está a Wikipedia explicando isso de uma forma mais coerente!.

Um adaptador 35mm procura tomar o lugar do sensor da câmera e usar uma placa de foco para exibir uma imagem através de lentes externas anexadas ao adaptador. Como essa imagem é focada em uma tela translúcida (similar à como se olha uma imagem em foco através da visor da câmera), a filmadora é capaz de enquadrar essa tela intermediária e grava-la. O principio desses adaptadores é similar a apontar a câmera de vídeo para uma tela de cinema. As lentes anexadas ao adaptador fazem o trabalho dos mecanismos de foco e abertura da filmadora, deixando para a filmadora apenas a responsabilidade de gravar o que está sendo projetado na tela em foco (chamada backfocus).

 

Uma ideia simples, mais difícil de ser acertada. Existem vários bons adaptadores por aí, como o M2, Brevis 35, SGPro e o Letus.

Esses adaptadores usam várias placas de foco (ou vidro fosco, chamadas dessa forma por serem literalmente pedaços finos de vidro fosco). Todos eles vibram ou giram; a razão pela qual eles fazem isso é para livrar-se do padrão criado quando se tornam translúcidos. Uma vibração treme o vidro retangular em 4 eixos, o giro faz um circulo para fazê-lo.

A vantagem do giro sobre a vibração é simples. Se você pegar alguma sujeira da vibração você irá vê-la, mesmo vibrando, mas o giro esconde a sujeira. Além disso, geralmente os giradores deixam você parar em baixo para deixar que você obtenha uma profundidade de campo mais funda e use velocidades de obturador maiores antes de começar a ver o padrão do vidro.

Shallow depth of field vs Deep depth of field

Existem várias desvantagens no uso desses adaptadores. Eles perdem parte da iluminação, uns mais do que outros e necessitam de mais vidro sobre a lente do que você já está usando. Algumas câmeras com lentes removíveis podem usar adaptadores com lentes de retransmissão (relay lens) ao invés de lentes de vídeo normais. Essas são lentes de distância focal fixa projetadas do tamanho perfeito para foco em um vidro fosco, tornando a câmera menor e aumentando a sensibilidade com pouca luz.

Boas lentes custam um bom dinheiro. Lentes Prime (distância focal fixa) são normalmente mais rápidas do que lentes Zoom, mas são inconvenientes devido a falta de habilidade para dar zoom (embora você possa dar zoom no vidro fosco com alguns adaptadores para alterar o tamanho do quadro). Lentes Zoom são convenientes e são geralmente mais lentas. Existem lentes Zoom de abertura f2.8 disponíveis mais elas são caras. Além disso, compare isso com a velocidade de muitas lentes Prime, que é de f1.4. Lentes Zoom baratas frequentemente começam em f3.5 e vão até f5.6. Essas lentes não boa o suficiente para adaptadores 35mm.

Qual é então o melhor? Bem, todos fazem  o mesmo trabalho com graus variados de sucesso. Eu tenho todos eles, com exceção do SGPro, e a que tenho usado todo tempo e é bem maravilhosa é a Letus Ultimate, que é a base de meu trabalho e realmente merece o nome, apesar de outras pessoas obterem sucesso com os outros adaptadores…

Uma coisa que você precisa estar ciente é que o adaptador 35mm irá virar a imagem de cabeça para baixo, porque as lentes sempre projetam uma imagem dessa forma. Se trata de física! Agora, a lente da câmera é virada pelo caminho certo em torno da câmera, ma ao colocar outro pedaço de vidro na frente fará com que a imagem seja virada de cabeça para baixo tanta na câmera quanto na gravação. A solução é ou ter uma câmera que possa inverter a imagem, basicamente a JVC HD200 e a 250, ou obter um acessório para seu adaptador. O Letus vem apenas dessa forma; todos os outros são modulares e eu recomendo fortemente que você obtenha um desses para seu adaptador.

Quando foco se torna crítico, é quando as coisas se tornam realmente difíceis. Uma profundidade de campo rasa é muita crítica, e todas as câmeras precisam de um LCD para foco.  Apenas as câmeras EX1 e  EX3 possume um LCD utilizável, as outra precisam de monitores externos. Com câmeras como a EX3, a Canon XL e a JVC HD, que possuem lentes removíveis,anexar uma lente 35mm ao corpo não afetará a profundidade de campo pois seus sensores não mudam de tamanho, tudo que está fazendo é projetar uma imagem muito grande em um sensor muito pequeno, o que significa que a maior parte da imagem é perdida e o tamanho real da lente é multiplicado de 7 a 8 vezes. Dessa forma, uma lente de 100mm se torna uma lente de 700mm. O que é bom para filmar a vida selvagem, inútil para todo o resto. Você precisa de um sensor 35mm ou falso sensor 35mm como o que você obtém nesses adaptadores.

Manter registro dos focos é essencial se você planeja fazer tomadas médias com foco torturado (rack focus), onde tocar a barreira das lentes causará oscilações. A Redrock e a Zacuto são ambas excelentes em manter registro do foco e eu recomento completamente as duas.

Não esqueça de ver o vídeo de demonstração da Letus Extreme para visualizar a diferença em ação!

E não esqueça de ter a habilidade de obter uma profundidade de campo rasa não significa que tudo deve ser loucamente raso. Use esse recurso para aperfeiçoar a contagem da história, e não fique acanhado com grandes tomadas abertas, certamente quase toda ela estará em foco, mas tudo se trata de obter uma aparência orgânica e cinematográfica e isso não se faz somente com uma profundidade de campo rasa.

Há ainda um item importante que eu esqueci de mencionar sobre os adaptadores 35mm. Ter um não fará que você tenha imagens bonitas. Você pode obter bonitas imagens sem um facilmente. É como você usa sua câmera que é importante. Se você não estiver obtendo bons resultador sem um adaptador, não ache que ele será a resposta para todos os seus problema. Muito provavelmente não será. Eles são caros quando se usa vidros rápidos, são difíceis de usar e de obter resultado consistentemente bons, mas quando você consegue esses resultados são de explodir cabeças, mas leva algum tempo e prática. Veja quão bom você pode ser sem eles primeiro, e depois, quando suas imagens normais forem espetaculares, passe a usa-los. Você não se arrependerá!

Nunca houve um momento mais excitante para criar filmes independentes que hoje. O mercado de 35mm está como o Mugatu de Will Ferrel diria “Tão quente no momento”. A Letus possui o Ultimate, um apêndice maravilhoso em um mercado dominado por P&S e Movietube, capaz de criar imagens incríveis. Cinevate possui todo tipo de inovações com o Brevis e a SGPro anunciou o incrivelmente bom Blade. A Redrock, enquanto isso, está concentrada em acessórios soberbos mas quem sabe o que encontraremos virando a esquina? Tudo que sei é que quanto mais esses caras trabalham duro melhor para nós.