Como Montar um Provedor de Acesso via Rádio – Parte Técnica

O objetivo deste documento é orientar quais são os primeiros passos para a criação de um Provedor de Acesso via Rádio. O primeiro passo na decisão da montagem do Provedor de Acesso via Rádio é determinar a região de atendimento e o provável número de usuários que serão servidos. É bom ser bem realista porque cada Access-Point a ser instalado atende com qualidade somente até 50 antenas de clientes. O mais importante é que o negócio seja rentável e esteja totalmente pago em no máximo 12 meses.

Vamos ao que interessa:

Descrição Investimento Médio R$
01 Roteador Huawei 1700
02 CPU Dell PowerEdge
01 Access-Point Samsung SWL3300
01 Antena Omnidirecional ( primeira célula)
11.700,00
01 Access-Point Samsung SWL3300
01 Antena Setorial PTX16
01 link 11Mbps Samsung SWL3300 com duas antenas PTX36 até a primeira célula
5280,00
Total dos Equipamentos 16980,00

Os equipamentos acima poderiam atender 100 usuários e trazer um faturamento médio mensal de R$8.000,00. Contando despesas de um link de 1Mbps por R$2500,00 e funcionários por R$2.500,00 é possível um retorno de investimento em 12 meses se forem atingidos 100 usuários em 6 meses.

O que é necessário para se iniciar o Provedor de Acesso via Rádio

1 – Licença SCM da Anatel

A Licença SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) pode ser obtida na Anatel através do licenciamento da Empresa e pagamento de taxas e serviços de Engenharia de Telecomunicações. Outro caminho mais barato é contratar de um Provedor de Acesso que já possua a Licença SCM. Neste segundo caso normalmente é pago um valor mensal ( salário mínimo ) ao provedor mais as taxas de licenciamento das Estações.

2 – Link Internet IP

O Link Internet IP normalmente é contratado de uma operadora de Backbone (Embratel, Telemar etc.. ) e é entregue por elas através de uma conexão serial. Essa conexão tem que ser transformada no padrão Ethernet. A transformação é feita utilizando-se um roteador ( exemplo Cisco 1721 com 01 porta serial e uma porta Ethernet).

A velocidade do Link e o número de usuários determinará a qualidade dos serviços prestados. Normalmente um link de 2Mbps pode suportar até 250 usuários com velocidade liberada de 128kbps de download e 64kbps de upload.

3 – Infraestrutura de Controle de Velocidade

O controle da velocidade liberada para os usuários normalmente pode ser feita utilizando-se funções disponíveis gratuitamente no sistema operacional Linux. Essa função chama-se Traffic Control e é aplicada através de um script chamado CBQ. No RedHat 9 ou Fedora esses scripts são nativos do sistema operacional.

4 – Infraestrutura de Controle de Usuários

O controle de usuários pode ser feito através de regras de bloqueio implementadas no mesmo Servidor de Controle de Velocidade.

5 – Serviço de NAT

Normalmente no Link Internet IP a Operadora libera somente 16 ou 32 IPs válidos. Porém o número de usuários é sempre maior, então é necessário um servidor adicional para fazer o servico de Tradução de Endereços. O servidor utiliza apenas um número de IP Válido para servir diversos usuários, dessa forma otimiza a utilização de números IPs válidos que é escassa na Internet.

6 – Infraestrutura de Acesso

A Infraestrutura de Acesso consiste de um equipamento chamado Access-Point que é equipado com uma ou mais antenas.

Tipos mais comuns de Access-Points

Padrão Frequência
em Ghz
Marcas/Modelos Recomendados Velocidade
Máxima
Vantagem/Desvantagem
802.11a 5.20-5.82 Proxim/Tsunami MP11a 54/36Mbps Não sofre interferência/preço pouco mais elevado.
Ainda não é viável para utilização em larga escala.
Muito bom para interligar até 6 locais remotos.
802.11b 2.40-2.48 Samsung/SWL3300
Cisco/AIR-AP1231
11Mbps Muita interferência/preço muito acessível
802.11g 2.40-2.48 Cisco/AIR-AP1231 54Mbps Muita interferência/preço muito acessível

Tipos de Antenas para Access-Points

Padrão Frequência de Trabalho Modelo Pluton Ângulo de Cobertura
802.11a 5.72-5.82 PTX16-5.8 120 graus
( similar a uma fatia de pizza)
802.11a 5.72-5.82 PTX32-5.8 360 graus
( cobre todas as direções )
802.11b 2.40-2.48 PTX16 120 graus
( similar a uma fatia de pizza)
802.11b 5.72-5.82 PTX32 360 graus
( cobre todas as direções )
802.11g 2.40-2.48 PTX16 120 graus
( similar a uma fatia de pizza)
802.11g 5.72-5.82 PTX32 360 graus
( cobre todas as direções )

No caso de uma antena omnidirecional, a distância a ser coberta depende mais da antena que está no cliente. Se um Access-Point Samsung SWL3300 for equipado com uma Antena Pluton PTX32 e no cliente uma Antena de Grade 24dbi, a distância máxima para um bom desempenho será de até 10km em volta da antena.

6 – Clientes

O cliente que acessará o Access-Point de uma maneira geral utilizará uma antena direcional e um equipamento de rádio. Existem centenas de modelos de equipamentos disponíveis no mercado. Alguns são melhores e outros piores. Abaixo estão aqueles que normalmente são utilizados pela maioria dos Provedores de Acesso sem Fio.

Tipos de Equipamentos de Rádio.

Padrão Frequência em Ghz Marcas/Modelos Recomendados Velocidade Máxima Vantagem/Desvantagem
802.11a 5.20-5.82 Proxim/Tsunami MP11a 54/36Mbps Não sofre interferência/preço pouco mais elevado. Ainda não é viável para utilização em larga escala. Muito bom para interligar até 6 locais remotos.
802.11b 2.40-2.48 Placa PCI LG
Ethernet Adapter Linksys WET11
11Mbps Muita interferência/preço muito acessível
802.11g 2.40-2.48 Placa Linksys WMP54G
Ethernet Adapter Linksys WET54
54Mbps Muita interferência/preço muito acessível

Tipos de Antenas para Cliente em 802.11b ou 802.11g (2.4Ghz)

Modelo Abertura/Ganho Distância máxima de uma
Omni-direcional 15dbi -100mW
PTX12 – corneta direcional 60 graus/8dbi 1km
PTX18 – corneta direcional 30 graus/15dbi 2-3km
PTX36 – parabólica direcional – modelo A 5 graus/32 dbi 20 km

Tipos de Antenas para Cliente em 802.11a (5.8Ghz)

Modelo Abertura/Ganho Distância máxima de uma
Omni-direcional 15dbi -100mW
PTX18-5.8 – corneta direcional 30 graus/18dbi 1,4km
PTX36-5.8 – parabólica direcional – modelo A 5 graus/37 dbi 10 km

Fonte: http://www.abusar.org/prov_pluton.html